Sem categoria

Preconceito às avessas… Afff, me deixe em paz!!

biquini1

O plus size nunca esteve tão em alta. Se eu sou contra? LÓGICO que não. Acho as modelos maiores lindas demais e fico muito feliz em ver que mulheres de todas as formas e tamanhos estejam sendo representadas. Inclusive acho que no dia que as novelas e os filmes trouxerem mulheres gordas (não vou usar eufemismos, ok?) como protagonistas e não como aquela personagem desajeitada e engraçada vai ser uma vitória maior ainda. Mas existe uma coisa nisso tudo que me incomoda. É o preconceito ao contrário. Sim, noto que tem uma leva de pessoas que metem o pau nas pessoas como eu que decidiram emagrecer e levar uma vida saudável. Como se fôssemos fúteis, infelizes e que não temos prazer algum na vida. Escuto constantemente que estou magra demais, ouço direto a frase “mas vc não vai emagrecer mais, não, né? Já chega!”. Estou sempre tendo meu prato analisado e ouço piadinhas de que sou neurótica etc etc. Engraçado pq uma pessoa “de bem” não vai chegar pra um gordo e falar: “vc não vai engordar mais, não, né? Já chega!”. Ave Maria, se alguém falar isso vai ser taxado de gordofóbico, intolerante e com toda razão. Então, não vejo com bons olhos as pessoas que ficam me falando isso o tempo todo. Umas inclusive que tem vários defeitos e que eu não fico apontando.

Parece que nossa magreza e estilo de vida viram domínio público, que todo mundo pode dar palpite e acho que não é bem assim que funciona. Eu estava infeliz com meu corpo, então EU fiz um regime, EU mudei meus hábitos e EU decidi compartilhar isso com pessoas que querem o mesmo. Eu não fico atrás de ninguém falando que elas estão acima do peso e pregando que elas têm que mudar. Eu não obrigo ninguém a ler meu blog, a me seguir nas redes sociais. Não mando SPAM pra ninguém e nem marco pessoas aleatórias nas minhas postagens. Esse blog, inclusive, foi criado por sugestão de várias pessoas que ficavam me pedindo conselhos e dicas através das minhas redes sociais.

Então de uma vez por todas: o negócio é ser feliz. Se vc é gorda e é feliz, que maravilha!! Se vc é magra e é feliz, yupy!! Se vc tem o cabelo black power e é feliz, uhuhuhu. Se o liso que lhe agrada, bom demais. Acho que não temos que fazer apologia à gordura, nem à magreza, nem nada. Temos que fazer apologia à felicidade e estimular que todos corram atrás dela. Se for de ser gorda, que o faça com saúde. Se for de emagrecer, então tá aí várias e várias dicas pra fazer isso, mas tb pensando sempre na saúde. Quer ser sarará? Anele! Quer ser lisa? Mete chapinha. Mas seja VOCÊ o que VOCÊ quiser. E aprenda a respeitar os outros. Não temos que respeitar só quem está acima do peso. Temos que respeitar tb quem decidiu mudar e emagrecer. Pq não??

Segue foto minha de biquini para mostrar que eu NÃO ESTOU MAGRA DEMAIS, NÃO ESTOU NADA DEFINIDA, TENHO VÁRIAS GORDURINHAS, mas estou MEGA ULTRA FELIZ com meu corpo. Se ele vai melhorar e ficar mais bonito não sei dizer. Malho com moderação, não passo fome e meu objetivo não é ter um corpo escultural e perfeito. Mas se eu cismar, terei e ninguém terá nada com isso. Sem mais!! Boa tarde!!

Padrão
Sem categoria

Sobre a “marvada” TPM

Não sei o pq, mas podemos reparar que a maioria das mulheres (inclusive as mais focadas e fodas, modelos fitness etc) sempre reclamam que fica super difícil manter a alimentação regrada na fase da TPM. Não. Esse não é um post falando sobre as causas científicas desse mal, nem como atenuar seus sintomas etc. Quero dividir com vocês a minha experiência sobre isso. Geralmente não sinto os efeitos da tensão pré menstruação. Quando tenho algo é irritação. Me sinto nervosa a beça, sem a menor paciência pra nada. Mas aquele desespero por doce não tenho mesmo. Acho que por eu ser uma pessoa extremamente ativa e que não paro pra nada, não tenho tempo nem de ter desejo de comer algo.

Só que eu estou de castigo, de repouso por causa da minha lombar que travou semana retrasada. Ou seja, juntou a tpm, o ócio, a ansiedade de não poder fazer minhas coisas e o fato de estar sem internet em casa… affffffff. Ontem fiquei enlouquecida por um doce. Era capaz de matar um que passasse na minha frente. kkkkkkkkk

Me vi abrindo uma lata de leite condensado e fazendo um brigadeiro e comendo ele inteiro, sozinha e… morrendo de culpa depois.

Ah, Fernanda, então quer dizer que é errado sucumbir a um doce numa situação extrema??? Claaaaaaro que não, queridos. Mas a vida é feita de escolhas. Eu tenho TRÊS aniversários de criança ess fim de semana. Preciso comer uma panela de brigadeiro na terça sendo que sábado e domingo já vou jacar?? E ainda tem o fato de eu não estar malhando. Não tenho nem como queimar o leite condensado do corpinho.

O que fiz então pra resistir?

Primeiro, racionalizei a coisa como fiz acima, lembrando que tenho festas pra ir e que prefiro comer essas delícias nelas. Segundo, lembrei de como eu estava infeliz gordinha e o quanto agora me sinto mais bonita e realizada e por fim, decidida que não valia a pena, tomei um copão de limonada que fiz na hora e comi uns 3 biscoitos cream craker (que nunca como, mas achei melhor que comer brigadeiro) e consegui segurar minha onda até o jantar.

Mais tarde fiz uma banana com canela e adoçante no micro-ondas e ficou uma delícia. Pronto. Fiquei me sentindo a pessoa mais forte e determinada do mundo.

Entenderam o que é controle? Eu que mando na comida e não o contrário. Eu já decidi que sábado e domingo vou sair da linha. Mas eu que escolhi isso. Não vou ficar a mercê de tpm, de ansiedade, nem de nada disso.

Enfim, espero que vocês também consigam mudar essa chavinha dentro de vocês e passem a ter as rédeas da sua alimentação.

Beijos!!!

Padrão
Sem categoria

Antes e depois!

ad

Mais um antes e depois pra vcs!! Gente, juro que qdo olho para a primeira foto não me reconheço… É esquisito demais. Durante a maior parte da minha vida fui uma pessoa muito magra. Fui uma criança magra, uma adolescente magra e até meus 28 anos nunca soube o que era estar realmente acima do peso. Dos 28 até agora (35) minha vida foi uma montanha russa, em se tratando de peso. Tive momentos mais magra, outros mais gordinha. Em 2010, cheguei aos 66. Fiz tratamento, emagreci. Em 2012 tava super magra (tinha chegado aos 58) e depois da última cirurgia de endometriose (outubro de 2012) comecei a engordar, engordar até que cheguei aos 70. Poxa vida, é num piscar de olhos que a gente de magra passa a gorda e nem notou. Mas os quilos não chegam de uma só vez. É aos poucos, só que a gente não liga. Pensamos assim: “Ah, só um pouquinho, daqui a pouco perco” e assim, de pouquinho em pouquinho vc vira outra pessoa, perde todas as suas roupas e só vai ficando mais triste. Bom, comigo foi assim. Eu sempre protelava e deixava pra amanhã a dieta. Me permitia comer qualquer coisa e me entregava à preguiça na cara dura. Mas na hora que me olhava no espelho era um choro só. E qdo via minhas fotos de show?? Ave Maria, queria apagar todas. Sair de casa era um suplício, mas como me manter escondida se meu trabalho é pura exposição? Na televisão parecia que dobrava o tamanho. Tinha pânico qdo alguém tirava foto da tv e me marcava.

Hoje em dia amo expor minha figura em público!! kkkkk! Falou que é pra sair, já vou me embonecar e tenho prazer em escolher a roupa. É tão bom poder ser eu mesma de novo!! Hoje, olho minhas fotos antigas e não sinto uma pontada no coração como antes. Pra mim é como se o tempo não tivesse passado, a não ser pelas minhas experiências e minhas conquistas!!

2000a

Nessa foto eu tinha 19 anos. Foi meu primeiro carnaval. Ano: 2000.

Super magra, devia estar pesando uns 50 quilos. Antes disso sempre fui magra assim e permaneci até começar a ter problemas com a chata da endometriose.

Enfim, cada um sabe onde o calo aperta. Tem quem esteja acima do peso e está feliz. Eu não!! Pra mim, estar gordinha sempre foi um sofrimento e se vc faz parte desse time, sinta-se a vontade aqui, esse espaço é seu!! #colaemmimquevoceseca

Padrão
Sem categoria

Bebida alcoólica: beber ou não beber? Eis a questão!

só observo

Olá queridos, tudo bem? Postei essa foto nas minhas redes sociais e recebi um monte de mensagens me perguntando se tinha que parar de beber pra emagrecer. Bom, eu, no início do meu processo, parei sim. Cortei totalmente mesmo. Pq eu tinha um objetivo bem definido e queria perder muitos e muitos quilos. Sendo assim, só tomava em festas água com gás com gelo e bastante limão que amo. Depois que emagreci, comecei a me dar alguns momentos de prazer com um vinhozinho ou um espumante. Cerveja cortei mesmo, nunca mais tomei. Enfim, bebida engorda demais, tem muitas calorias e junto com ela sempre vem milhares de petiscos mais engordativos ainda, ou seja, uma jaca e tanto. Acho que, no período de manutenção (ou seja, depois que vc perder o que precisar), é válido ter esses momentos, afinal a vida é feita deles e abrir mão totalmente do que vc gosta, pra sempre, me soa meio cruel, não? Mas vale a pena escolher suas batalhas. Sim, canso de falar isso com todo mundo: eu escolho bem minhas batalhas. O que significa? Que não é qualquer dia, qualquer momento que vou beber e comer porcaria. Vou escolher as coisas mais gostosas de comer pra ser minha jaca e vou escolher ocasiões que eu achar especiais para beber. Entendem a diferença? Antes, aqui em casa, sozinha mesmo (meu marido não bebe nada) eu abria um vinho e comia atéeeeee falar chega queijinhos, salaminhos, azeitonas, biscoitinhos etc etc. A toa, do nada. Hoje prefiro fazer isso qdo for bem legal. Ontem mesmo recebemos a turma das antigas do maridão aqui. O clima estava muito descontraído e agradável. Ele fez um caldinho de feijão sensacional e cada um trouxe um tira gosto. Tomei algumas taças de vinho e comi de tudo que tinha aqui. Não me sinto culpada, pois não é sempre e já estou muito magra. Portanto, na minha opinião, depende em qual estágio vc está para decidir, ok?

Leiam o que o meu nutricionista, Magno de Miranda, tem a falar sobre o assunto. Pedi pra ele ontem e prontamente ele escreveu especialmente pro nosso blog!! Beijos e até o próximo post!! #colaemmimquevoceseca

BEBIDAS ALCOÓLICAS X PESO CORPORAL. Atendendo aos pedidos de vários pacientes e amigos seguem dicas sobre o consumo das bebidas alcoólicas mais comuns. Eventos como festas, happy hour e jogos de futebol são motivos para reunir amigos e familiares. Nestes momentos é frequente ter algum tipo de bebida alcoólica. Qualquer bebida com teor de álcool deve ser consumida com moderação, independente se você está em um processo de emagrecimento ou não. PARA SE TER UMA IDEIA, CADA TULIPA DE CHOPP EQUIVALE A UMA UNIDADE DE PÃO FRANCÊS. Contudo, os principais Órgãos de saúde permitem (liberam) PEQUENAS doses diárias. Boas escolhas podem fazer uma diferença maior para a saúde, como, por exemplo, o vinho tinto, que é rico em resveratrol e taninos. Estas moléculas são poderosos antioxidantes, e dentre suas funções podemos citar: diminuição do risco de diabetes, pressão alta, câncer e problemas cardíacos. Outras bebidas com teor alcoólico muito elevado como uísque e vodka podem causar danos ao fígado. Existem algumas diferenças nas calorias dentro da própria categoria de bebida, por exemplo, os vários tipos de cervejas. Então, coloquei uma média. Vejam alguns pontos interessantes sobre bebidas alcoólicas: Cada grama de álcool fornece 7,1kcal. CERVEJA (100,0ml): Teor alcoólico médio: 5,0%. Carboidrato: 3,6g. Proteína e gordura: 0,0g. VINHO (100,0ml): Teor alcoólico médio: 13,0%. Carboidrato: 1,4g. Proteína e gordura: 0,0g. DESTILADOS (100,0ml): uísque, vodka e cachaça Teor alcoólico médio: 40,0%. Carboidrato, proteína e gordura: 0,0g.

Referência: USDA Database for Standard Reference, Release 14 (julho 2001)

Acompanhe dicas no INSTAGRAM: @magno_nutricionista

Prof. Magno Luiz de Miranda

Nutricionista Esportivo / Professor de Educação Física / Docente de graduação e pós-graduação

Bebida alcóolica 2

Padrão
Sem categoria

Oi, mundo!!

Segunda feira é o dia internacional dos começos e recomeços e nada melhor que o dia de hoje para começar um blog, uma nova etapa na minha vida.
Bom, primeiramente vou me apresentar para os que ainda não me conhecem:
Eu sou Fernanda Garcya, tenho 34 anos, sou cantora há 18, formada em jornalismo desde 2003 e há oito meses adepta de um estilo de vida completamente saudável.

 

Sempre fui uma pessoa bem magrinha, nunca me preocupei com alimentação, dietas, nada. Aos 20 e poucos anos até tomava Biotônico Fontoura com ovo de pata, leite condensado etc porque meu avô Lair dizia que era bom pra gente ficar forte!! Assim foi até meus 26 anos até que uma doença pra lá de chatinha mudou minha vida e meu metabolismo.
Endometriose. Conhecem??
Já foram quatro cirurgias pra me livrar da danada. A cada cirurgia, um novo tratamento hormonal e consequentemente muitos, muitos quilos a mais. Com a doença veio o diagnóstico de infertilidade e busquei uma fertilização in vitro pra realizar o desejo da maternidade. Infelizmente o tratamento não me fez engravidar. Ganhei somente os quilos a mais que só quem já passou por isso sabe como é.
Nessa altura do campeonato eu já estava com 70 quilos (eu tinha dito pra todos que era 66, mas, descobri que minha balança está roubando quatro quilos, então não estranhem a diferença nos pesos) e morreeeeeendo de pena de mim mesmo. Perdi todos meus figurinos de show e minhas roupas do dia a dia também. Passava horas na frente do espelho quebrando a cabeça do que vestir, mas nada ficava de fato bonito. Trabalho na televisão também e toda vez que me assistia ficava horrorizada com meu tamanho.
Eu chorava tanto na porta do meu armário, chorava quando via minhas fotos, mas isso só me deixava com mais pena de mim ainda. Pensava que eu não tinha culpa por estar gorda, que eram os hormônios, a doença, e isso embaçava minha visão e não me deixava tomar uma atitude.
Um belo dia decidi uma coisa muito importante: eu não tinha culpa de ter ficado doente, de ter engordado, de ter o metabolismo mudado. Realmente. Não tinha culpa MESMO. Porém, só existia uma pessoa que podia consertar isso, independentemente de quem fosse essa culpa: EU. SOMENTE EU.
Parei de morrer de dó de mim e decidi tomar as rédeas da minha vida. Nessa conscientização percebi que eu era mais culpada do que imaginava. Que estava comendo errado SIM e que tinha muito a ser feito.
Comecei com grandes mudanças na minha rotina e nos primeiros 15 dias perdi seis quilos!!
Hoje, oito meses depois, estou com 57 quilos, com um percentual de gordura de 22% e muito feliz, mas não parei por aqui. Ainda quero abaixar esse percentual pra menos de 20% e ganhar mais músculos.
Meu manequim que era 42 hoje virou 36.

 

17

Essa foto foi tirada no carnaval de 2014. Essa roupa é linda e super me emagreceu. Mas hoje qdo olho vejo que eu estava muito gordinha.

01

Olha que diferença!!! Essa foto foi no carnaval desse ano, 2015. Treze quilos a menos e bem magrinha e feliz!!!

 

2

Réveillon de 2013/2014! Me senti horrorosa nesse dia.

 

10885041_560368564066504_4951663400241649504_n

Reveillon desse ano 2014/2015. Quanta diferença, não é, minha gente??

 

Então, decidi criar o blog atendendo a pedidos!! Se eu ajudar UMA pessoa a mudar de vida, já vai ter valido a pena.
Não faço isso com objetivo financeiro, nem para aparecer, essa não é minha profissão, meu negócio é cantar mesmo!! Mas quero muito dividir essa alegria, compartilhar com outras meninas e meninos que sofrem como eu sofri, que eles são capazes sim. Que se eu consegui qualquer pessoa pode também. A hashtag #colaemmimquevoceseca era uma brincadeira, mas virou coisa séria!! E aí, quer colar comigo??

Padrão